fbpx

Segredo dos Andes: muito mais do Chile e Argentina no pacote Spazzinitur

Quando a gente aqui da Spazzinitur começou a pensar nesta viagem Segredo dos Andes, procuramos fazer um itinerário que não só estivesse focado no Chile.

 

Pensamos em proporcionar a vivência em outros locais tão legais quanto e, aproveitando que se trata de uma viagem de ônibus, trouxesse às pessoas lembranças que realmente são muito interessantes.

A viagem ao Chile passa por uma grande parte do território Argentino. Por isso, definimos que a nossa primeira parada seria em Córdoba e esta decisão não foi à toa. Córdoba é a segunda maior cidade da Argentina e a gente chega lá no segundo dia de viagem. Nesta parada, programamos fazer um passeio ao centro da cidade, visita aos pontos turísticos, parques, monumentos, museus e igrejas. E não é pouca coisa para ver.

Uma das coisas mais legais para se visitar é o quarteirão jesuíta (Manzana Jesuítica) declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO. Se você gosta de história este é o lugar. É um quarteirão de edifícios datados do século XVII onde está o Colégio Nacional Montserrat, a antiga universidade e a igreja da Companhia de Jesus. Apesar de ser uma cidade muito antiga (foi fundada há 445 anos) é bastante populosa (cerca de 1,3 milhões de habitantes), mas é tranquila e bem organizada.

Num dia dá para conhecer vários pontos turísticos muito bacanas: El Mercado de La Ciudad, onde dá para tomar um café, almoçar em alguns dos restaurantes, ou apreciar as lojinhas e comprar vinhos na vinoteca.

Se você quer comprar calçados e roupas baratas (moda feminina, masculina e infantil), vale a pena caminhar nas ruas do entorno da Plaza San Martín.

Ainda na Plaza, se o seu interesse for cultural, experimente visitar a Cripta Jesuítica, construída pelos jesuítas ainda no século XVI. Já se você quer ver o resultado de uma construção que levou 200 anos para ficar pronta, visite a Catedral, finalizada em 1784. Enfim, Córdoba tem muito a oferecer, tanto em roteiros históricos quanto em estruturas naturais, como os parques existentes.

Bom, mas isso tudo é apenas o início da viagem.  No terceiro dia a viagem de ônibus é em direção à Mendoza com seus vinhos e o relevo da Cordilheira. Se você nunca foi a um deserto, prepare-se para o Deserto de San Luis. E é claro, comentar com os seus colegas de viagem as suas impressões.

 

O quinto dia da viagem é deslumbrante. O destino é Santiago, capital do Chile passando por um dos locais mais fantásticos da América do Sul. Os Andes são uma das maiores cadeias montanhosas do mundo (oito mil km de extensão) e claro, com todo este tamanho não são exclusividade do Chile. A cordilheira pode ser observada desde a Venezuela até o Sul da Argentina.

A gente aqui na SpazziniTur alerta aos nossos companheiros de viagem que preparem as baterias das máquinas fotográficas e dos celulares, porque a experiência é de tirar o fôlego.

 

A Cordilheira nos leva a Santiago, onde Santiago, recuperamos o fôlego de tanta natureza e tanta exuberância para desfrutar da capital do Chile. Aqui tem várias curiosidades. A capital está localizada num imenso vale ao lado da Cordilheira dos Andes. É um lugar que, por si só, valeria a pena, mas a capital surpreende com os cenários do seu entorno com certa identidade própria.

Tudo está ao alcance em Santiago, pois se trata de uma metrópole grandiosa, mas o charme desta capital se dá porque ali estão misturados um charme latino e um certo ar europeu.

Santiago é uma cidade diurna se você estiver interessado em praças e parques coloridos, e é uma cidade noturna se você optar pelos bairros boêmios.

E aqui vai uma dica de viajante. Não deixe de conhecer a Casa Museo La Chascona, antigo lar do poeta Pablo Neruda.

 

“Amo-te sem saber como, nem quando, nem onde,

amo-te diretamente sem problemas nem orgulho:

amo-te assim porque não sei amar de outra maneira,

a não ser deste modo em que nem eu sou nem tu és,

tão perto que a tua mão no meu peito é minha,

tão perto que os teus olhos se fecham com meu sono”.

 

Fragmento do soneto XVII, do Pablito. Bem que poderia ser uma declaração de amor à Santiago não é? Não resisti e quis compartilhar.

A partir daí poderíamos começar a viagem de volta. Mas o Chile é tão fantástico, que oferece tantas experiências num só território que decidimos aproveitar um pouco mais desta viagem.  A pouco mais de 100 quilômetros de Santiago está Viña Del Mar e Valparaíso. E aí a viagem de ônibus novamente nos proporciona coisas que a gente só aproveita quando está em terra e andando mais devagar. Para chegar às praias mais famosas do Chile a gente viaja pelo Vale Central, onde estão os mais famosos vinhos, frutas e queijos do Chile. Talvez você não saiba, mas Valparaíso foi declarado pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade, é um dos principais portos do Chile, que através de sua arquitetura espontânea – construída em colinas – mostra uma das cidades culturalmente mais ativas do Chile.

Viña del Mar, que em seus primórdios era uma terra de vinhedos, hoje é o mais importante resort no Chile.

 

 

Neste cenário você vai encontra imigrantes franceses, ingleses e alemães. É uma experiência muito interessante, que nos remete um pouco à miscigenação que temos no Brasil. É sempre muito legal ver pessoas que herdaram traços da fisionomia dos europeus em meio aos nativos chilenos.

Agora, sim, começamos a viagem de volta. E em parte dela, passamos pela mesma cidade de ida, Mendoza. É um ponto de parada para descanso e uma ultima oportunidade de fazer compras. Aqui, o destaque são as vinícolas. Mendoza tem um clima desértico e ensolarado na maior parte do ano e isso atribui muita qualidade às uvas deste lugar. Mendoza é o berço do vinho argentino e é famoso por produzir o melhor Malbec dom mundo. São mais de mil vinícolas, também conhecidas como “ bodegas”

A partir daí, nada de pensar no Brasil, pois ainda temos Buenos Aires pela frente! E a viagem não poderia seguir por uma estrada mais encantadora.

Vamos pela Ruta 7, que por si só já vale o passeio.

Como a gente sai logo depois do almoço, tem muita coisa para ver e aproveitar e, ao mesmo tempo, preparar o fôlego para Buenos Aires já na manhã seguinte. Buenos Aires é uma cidade que é difícil de descrever, porque em Buenos Aires a gente sente. Nenhuma cidade é mais latina do que a capital da Argentina. É um contraste tão grande com o Brasil que a gente tem a impressão de que está em outro continente. E pensar que na cidade e região metropolitana vivem 13 milhões de pessoas, e que, ao mesmo tempo, é um charme só, a ponto de ser chamada a Paris da América do Sul. Não vou nem entrar em detalhes sobre as atividades que o roteiro prevê, mas posso adiantar que é um banho de cultura.

E como não se pode ir a Roma e não ver o Papa, não se pode ir a Buenos Aires sem ver o tango.

 

A cidade tem a maior concentração de teatros do mundo e é uma das três cidades global alfa da América Latina, junto com São Paulo e a Cidade do México. Estar numa cidade destas, principalmente para a gente que vem de uma região de cidades pequenas é uma experiência bem interessante. A cidade global também é chamada de cidade mundial ou centro mundial, uma cidade considerada importante no sistema econômico global. São locais geográficos estratégicos de acordo com uma hierarquia de importância para o funcionamento do sistema global de finanças e comércio. Isso quer dizer o seguinte: Buenos Aires é uma cidade de contrastes. Se por um lado você pode ver a cultura preservada, por outro, a cidade exibe a contemporaneidade de se firmar como centro econômico e financeiro global.

 

E viva La Cale Florida, com seu comércio tão atrativo. É uma rua muito boa para pequenas compras, tomar um café e observar as pessoas passando…lá a vida é rápida cheia de colorido e de surpresas…as tardes sempre tem tango na rua e muitos voluntários se aventurando a dançar. O fim de tarde em Buenos Aires tem um quezinho particular: a noite demora a cair!

Decidimos reservar três dias em Buenos Aires para que os nossos viajantes tenham a possibilidade de sentir todas estas energias tão diferentes e guardar a capital do tango na memória.

Depois de tudo isso, voltamos.  Com mil fotos na máquina, com o celular cheio de imagens, com o espírito renovado e agradecido por termos tido a oportunidade de conhecer novos lugares e conviver com amigos da vida ou com os novos amigos que fizemos na viagem. Cansados, mas renovados. Quanto ao cansaço, o conforto dos ônibus e a companhia do nosso pessoal ajudam a relaxar e aproveitar este restinho de viagem e compartilhar tudo aqui com vocês.

Compartilhe essa história

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Quer receber novidades sobre nossos roteiros turísticos?

Assine nossa newsletter e receba informações sobre promoções, novos roteiros, dicas de viagem e muito mais. Tudo relacionado à viagens de turismo. Prometemos não fazer spam. ;)

Scroll to Top