fbpx
18 dias percorrendo Argentina, Chile, Bolívia e Peru

18 dias percorrendo Argentina, Chile, Bolívia e Peru

Olá, sou a Noeli Conte Rigotti e, apesar de sempre ter tido muito gosto por viagens, foi depois que me aposentei como professora é que consegui realizar grande parte dos meus projetos de sair mundo afora e conhecer o que os meus olhos só tinham visto em fotos e vídeos. Asseguro para você: viajar renova a vida da gente, dá sentido à nossa existência porque a possibilidade de conhecer outras paisagens, outras pessoas e outros costumes gera memórias que parece que a vida cobra da gente. Então, pra mim, viajar é preencher uma vontade de ampliar a compreensão da humanidade e do mundo.

Eu no Lago Titicaca, no Peru
Eu no Lago Titicaca, no Peru

As primeiras viagens que fiz foi o que normalmente fazem aqueles que tem sede de conhecer as coisas. Fui para vários lugares, sempre viajando de avião e também fiz um cruzeiro, então a viagem para Machu Picchu foi a primeira experiência terrestre.  Fomos em seis pessoas daqui de Viadutos, a cidade onde moro. Seis mulheres. Com exceção da Claudia, todas já tinham viajado para o exterior antes. E se você me perguntar sobre expectativa e realidade, eu garanto que superou muito as nossas expectativas, primeiro porque  passar 17 dias viajando nos aproxima das pessoas. E não falo somente dos outros turistas que estavam conosco. Nos aproximamos também da equipe da Spazzínitur. Guias e motoristas se transformaram em amigos, pela atenção que nos dedicaram. O atendimento é mesmo Vip e o tempo todo a gente percebia que eles tinham uma grande preocupação com o nosso conforto e bem-estar, se prontificando a resolver problemas, encontrar soluções e garantir que a gente aproveitasse ao máximo a viagem. Outro detalhe que preciso destacar é a qualidade dos hotéis oferecidos no pacote e as atividades que foram programadas.

Lago Titicaca
Lago Titicaca

Dito isso, quero falar, também, da viagem em si. A gente já sabia que percorrer Argentina, Chile, Bolívia e Peru iria nos proporcionar uma experiência completamente diferente das que já tínhamos vivido, mas a realidade superou as expectativas. Primeiro pelo contraste entre a nossa cultura e a cultura latina, segundo, pelas paisagens e maravilhas naturais que são tão diferentes do nosso país, apesar de sermos Continentais e, terceiro, pelas manifestações da arte, culinária, artesanato, musica, folclore,  valores e modo de vida destes povos. Degustar um jantar típico, passear com nativos pelos lagos chilenos ou ir a um show folclórico  boliviano, conhecer melhor os nossos irmãos das Américas nos dá um sentido de pertencimento, provoca uma identificação só possível entre os que, embora falando outra língua e tendo outras origens remotas, são todos povos colonizados e tem muito em comum.

Jantar típico boliviano com as amigas de viagem
Jantar típico boliviano com as amigas de viagem

Um detalhe que considero importante mencionar é a dificuldade da  gente se habituar à altitude. A gente sente um cansaço enorme, mas até nisso a viagem de ônibus ajudou, porque depois de dias de passeio e muitas atividades, o conforto do ônibus, que é fantástico, nos permitia descansar muito bem e nos preparar para muito mais emoções. A forma como o roteiro é organizado também possibilita que a gente aproveite mesmo a viagem. A Spazzínitur reserva tempo suficiente para que a gente conheça não só os lugares, mas as suas peculiaridades e possa interagir com os nativos.

As mulheres bolivianas e suas cores
As mulheres bolivianas e suas cores

O deslocamento terrestre também descortina à nossa frente paisagens, povoados, animais e vegetação típica do interior dos países, que seria impossível conhecer numa viagem aérea.  Por viajarmos de ônibus pudemos atravessar o lugar mais seco da terra, o deserto do Atacama e ver a forma como esses povos sobrevivem nesse imenso deserto e tantas curiosidades… O Atacama é um dos melhores lugares no mundo para observar os corpos celestes, pois raramente se formam nuvens nessa localidade. A sua superfície, também, é a que mais se assemelha a Marte. Pensa  num lugar inacreditável!

Companheiras em Machu Picchu
Companheiras em Machu Picchu
Eu nas ruínas de Machu Picchu, no Peru
Eu nas ruínas de Machu Picchu, no Peru

Em resumo, Machu Picchu, passando pela Argentina, Chile e Bolívia é uma viagem que recomendo. Quanta cultura, quantas imagens lindas, quantos lugares fantásticos! Eu já tinha esta impressão que, agora, é uma certeza: uma viagem é sempre o melhor investimento!

Compartilhe essa história

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Quer receber novidades sobre nossos roteiros turísticos?

Assine nossa newsletter e receba informações sobre promoções, novos roteiros, dicas de viagem e muito mais. Tudo relacionado à viagens de turismo. Prometemos não fazer spam. ;)

Scroll to Top